Username:
Senha: Esqueceu sua senha? Lembrar Senha. Cadastre-se
À Procura de Mulheres Interadas


Noticias:

Todas as notícias de À Procura de Mulheres Interadas:

Início -> Cultura -> À Procura de Mulheres Interadas

Para certo tipo de homem, hoje em dia, uma das maiores dificuldades em se conseguir uma parceira é encontrar mulheres que abandonaram o velho esquema de “isso é coisa de menino, aquilo é coisa de menina”. Isso tanto é mais surpreendente quanto mais se pode perceber a ampliação de espaço que as mulheres têm conquistado, em todos os campos.

OK, não estamos falando daquele típico rapaz de subúrbio que ainda se indispõe com uma mulher por conta da roupa ou da maquiagem. Estamos falando do homem mais maduro, estabelecido, que atingiu certo nível cultural. E, por algum acaso, inexistirão mulheres nas mesmas condições? Obviamente, não. E por que os homens têm a tal dificuldade em encontrá-las?

Eis o “x” da questão. Muitas dessas mulheres ainda estão presas a estereótipos a respeito de sua própria feminilidade. Faça um teste: aborde suas amigas mais antenadas, mais informadas e que mais procuram manter-se atualizadas em termos de cultura. Converse sobre cinema com elas. Todas, sem exceção, terão visto “Cinema Paradiso”, de Tornatore. Um belíssimo filme, por sinal. Indispensável, aliás. Trilha sonora muito popular, de Morricone, roteiro amarrado e enredo muito sensível. Bela fotografia.

Muito bem. Agora pesquise entre essas mesmas amigas quais delas assistiram ao filme “O Poderoso Chefão”, de Coppola. Trilha sonora arrasadora, roteiro impecável, enredo denso, atores impecáveis. Ah, mas é “filme de máfia”! É desconcertante dizer, mas a maior parte de suas amigas lhe dará essa resposta, ou coisa parecida, para justificar o fato de que jamais se interessaram pelo filme. Bom, mas isso pode ser um fenômeno relacionado ao cinema, por conta da linguagem imagética ou sei lá o quê.

Parta para os livros. Todas terão lido Gabriel Garcia Márquez, escritor premiado, autor de pérolas como “Cem anos de Solidão”, praticamente um re-inventor do idioma espanhol e ponto máximo do realismo fantástico. Mais um caso de componente indispensável para a formação cultural sólida de uma pessoa. Bom, mas e Herman Melville? Ou Hemingway? Para começo de conversa, não sei por que cargas d’água à mulheres não se pode oferecer clássicos literários em livrarias. Para final de conversa, se os temas de “Moby Dick” e “O Velho e o Mar” fossem expostos às nossas pesquisadas, elas os rechaçariam sob as alegações mais variadas: violência, competitividade exacerbada, tratamento muito objetivo etc. Em suma: é coisa de homens, sabe?

E assim ficamos apartados. Aos homens se permite acessar todo o universo cultural existente, às mulheres se pretende que exista uma especificidade qualquer. O resultado disso é que homens cultos têm dificuldades de conversar com mulheres cultas, porque estamos num sistema que acredita numa cultura “universal”, amplamente masculina, e numa “feminina” que, entretanto, pode perfeitamente ser assimilada pelos homens. E o pior é que as coleguinhas aceitam esse estado de coisas na maior normalidade. Já é tempo de mudar, não é verdade?


Editores
www.leveiumpenabunda.com.br


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dicas sobre sexo.
Dicas sobre dietas.
Dicas sobre cultura.
Dicas sobre dinheiro.
Dicas sobre esportes.
Dicas sobre Namoro
Dicas sobre restaurantes.
Dicas relacionadas com Homossexualidade

Sites Interessantes:

Dicas Viagens Diretório Seguros Diretorio Cirurgía Empréstimos
Anúncios Gratis de ServiçosGuia FenixDiretório IndustrialDiretório Brasil


Início | Chat | Fórum | Cadastre-se | Fale conosco | Recomende este site | Enquetes